terça-feira, 22 de setembro de 2009

Manifestações nos corredores da UNOESC!

Nesta semana o DCE está liderando uma série de manifestações, reivindicando que a empresa responsável pelo setor de cópias reduzisse o preço, que hoje é de 15 centavos, para 10 centavos, preço que é cobrado nos outros estabelecimentos da cidade. “O universitário já paga a mensalidade, e em muitos cursos paga material para poder estudar, e os gastos em cópias é absurdo, e dependemos disso para estudar.” Retratou Luan Fernandes Dias, Vice presidente do DCE.
O DCE também reivindica a eliminação do cadastro com documentos.
Eles esperam que o reitor da UNOESC abra concorrência, trabalhe com um sistema de licitação e que os beneficiados sejam os acadêmicos.
Os acadêmicos e membros do DCE afirmam que as manifestações prosseguirão até que seja tomada uma providencia, o DCE implantou máquinas copiadoras em sua sede para uso dos acadêmicos e está cobrando um valor de 5 centavos.
A responsável pela Realmack, empresa responsável pelas cópias na Universidade, Merciane Tecchio, não quis falar sobre o assunto. Qualquer informação só será repassada pelo proprietário. Tentamos entrar em contato com o empresário, mas o mesmo não atendeu o telefone.

quinta-feira, 10 de setembro de 2009

VIII Semana da Comunicação – UNOESC – 2009


Versatilidade

Nesses oito anos de edições a semana da comunicação já trabalhou com diversos assuntos. Em 2009 apresenta o tema Versatilidade, essa que promete ser “A” Semana. A coordenação do evento está com uma grande expectativa e aposta em figuras renomadas que colocarão a disposição de todos, a experiência vivida durante anos no mercado. .Dia 15/09 Lucia Santaella abrirá com chave de ouro a semana da comunicação com o tema “O Comunicador do Futuro”, 16/09 Marcos Hermes falará sobre ”Fotografia + Música: um casamento de sucesso”, dia 17/09 Dado Schneider apresenta “Quem não se comunica se complica” e pra fechar a semana tão bem quanto começou dia 18/09 o tão esperado Marcelo Tas, apresentador do programa CQC (band), que trará como tema de sua palestra “Inovação: a criatividade na era digital”. Esses palestrantes foram considerados os melhores comparados as edições anteriores, pois seguem um cronograma que abrange assuntos que os próprios alunos ajudaram a formar. “Com certeza esta é a semana da comunicação melhor organizada e com uma maior participação de todos nós. Está surpreendendo desde os mínimos detalhes, como a tecnologia usada no evento”. Afirmou João acadêmico da 4ª fase de Publicidade e Propaganda Silvia Simi dos Santos coordenadora dos cursos de comunicação social da UNOESC afirmou que esta é a única entidade que promove um evento deste porte na área da comunicação. “A procura de outras universidades e empresas está grande, principalmente nas palestras dos dias 17 e 18/09, e isso é motivo de orgulho, pois somos a única universidade a realizar um evento na área de comunicação desta proporção.” Ressalta Silvia. E os valores divulgados por ela são os seguintes: Alunos de comunicação que não tem a matéria de atividades curriculares complementares pagarão R$ 20,00 o pacote para as quatro noites ou R$ 10,00 por noite. Estudantes apresentando carteirinha pagarão R$ 35,00 e a comunidade externa também poderá participar adquirindo o pacote de R$ 70,00 ou R$ 20,00 por noite. Para efetuar inscrição e saber mais basta acessar http://unoesc.edu.br/eventos/joacaba/8-semana-da-comunicacao. A coordenadora revelou ainda que estão movendo mundos e fundos para cada ano superar as expectativas, “a idéia de cada ano é ‘explodir’ e fazer semanas ‘bombásticas’. E o tema deste ano, versatilidade não é por acaso, pois acreditamos que o futuro da comunicação e do profissional de comunicação é ser versátil, os profissionais de comunicação social devem saber de tudo um pouco nessa área”. Afirma Sílvia. E para que esse sucesso realmente fosse garantido, para a escolha dos palestrantes foi criada uma comissão de professores que juntamente com os presidentes de CA’s dos cursos de comunicação; Publicidade e Propaganda, Rádio e TV e Jornalismo, fizeram a escolha dos nomes.
Marcos José e Kelly Cristine

quarta-feira, 9 de setembro de 2009

terça-feira, 8 de setembro de 2009

Jornalista não é contador de histórias.

Ser jornalista não é somente contar histórias é retratar a realidade de maneira imparcial e ética. As autoridades de nosso país, no início deste ano derrubaram a obrigatoriedade do diploma de jornalista nos meios de comunicação. Sendo assim qualquer pessoa pode estar atuando nesta área. Seria necessário um diploma para divulgações de notícias ou ser jornalista é muito mais que apenas divulgá-las? O jornalista muitas vezes se torna um criador de opinião publica, e seu trabalho pode afetar diretamente a vida das pessoas. Portanto um erro pode trazer sérias conseqüências.A universidade da ao jornalista a oportunidade de errar, e estar aprendendo com seu próprio erro. Pessoas que defendem a lei da queda do diploma compararam o jornalista com um escritor, que não precisa de diploma para estar publicando seus livros. Mas vale lembrar, como já falei no início deste artigo, jornalista não é contador de histórias. Então fica aí um apelo às nossas autoridades de repensar nesta decisão, pois a responsabilidade e influência de um jornalista são bem maiores do que se imagina.

Marcos José

quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Direito de diploma para Jornalista.

Políticos, os representantes da nossa sociedade defendem e dão muita importância para a educação, incentivam o estudo para crianças, jovens, adultos e proporcionam também uma “segunda chance” a idosos que não tiveram oportunidade de estudar. Hoje a educação esta ao alcance de todos, basta o esforço e a determinação de cada um. Diante disso está mais fácil do que se imagina realizar um sonho que predomina nos objetivos das pessoas, conquistar um diploma, se formar em uma profissão que realmente deseja pra conseguir a partir daí construir uma nova vida de independência e conquistas. Esse é um dos pontos extremos na vida de uma pessoa, chegar ao fim do curso com uma base para usufruir de todo conhecimento adquirido em anos de estudo, poder apresentar o diploma e ser respeitado por isso. O incentivo na educação, de políticos, professores, pais, como estudante acho fundamental e importante para a formação de um bom cidadão. A educação faz com que quem se dedique a ela não tenha tempo para se desviar para o mau caminho e leva a conquistas impagáveis. O que é incrível é você ver esses mesmos políticos determinando a não obrigatoriedade de diploma para jornalistas, isso é extremamente revoltante, desanimador, seria isso por receio da capacidade de nossos jornalistas de saber como colocar a verdade para o povo que muitas vezes esta cego diante de tantas falcatruas, manipulações, roubos que existem e provavelmente não vão acabar, não quando temos esse tipo de pessoa nos representando, usando do poder para influenciar na sociedade dessa forma. Ser jornalista não é simplesmente obter notícias e publicá-las, há muito mais por trás disso, um comprometimento com o leitor, o ouvinte, o telespectador, o poder de um jornalista é maior do que aparenta e é algo que deve ser manipulado por quem sabe o que faz, por quem tem noção do benefício ou estrago que pode causar.


Kelly Cristine